Sarah Chaves

Tempo de maturidade

21/12/15

Quando penso no ministério de Jesus, imagino que ele tinha prazer em exercer sua vocação. Imagino que ele se sentia tão pleno ao fazer a coisa certa na hora certa que estava pronto para passar pelo que fosse necessário para cumprir seu chamado. Imagino assim porque quando percebo que todas as coisas conspiraram pra eu estar em determinado lugar fazendo determinada coisa, me sinto tão segura de que Deus olha por mim, que uma força lá dentro me dá ousadia para enfrentar qualquer situação. Me sinto capaz!
Aí, Jesus estava lá fazendo seu trabalho quando era chegada a hora de “mudar de setor”, sair do universo das coisas familiares, passar para outro nível. Embora seu espírito (divindade) estivesse pronto pra seguir em frente, sua alma (humanidade) parecia apegada àquele mundo conhecido. Conversaram, alma e espírito, e decidiram entrar num consenso sobre o que dizer para Deus. “- Meu Pai, se for possível afasta de mim esse cálice. Contudo, não seja como eu quero, mas sim como tu queres”.
Nossa religiosidade faz com que a gente pense num Jesus longe da nossa realidade. Tão longe que quase anulamos seu sacrifício ao minimizar sua humanidade. Quando leio essa oração me sinto tão próxima do Mestre! “Deus tá tão bom aqui. Faz esse tempinho gostoso durar mais um pouquinho.” Fiz essa oração tantas vezes…
Acaba a calmaria. Judas, seu discípulo, amigo. Aquele que comia com ele, via de perto as coisas que Jesus fazia, aprendia dele… se comportou como um traidor. Quem nunca viveu essa dor de ver num amigo, um traidor?
Por trinta moedas de prata o amigo preparou uma emboscada. E disse “prendam aquele que eu cumprimentar com um beijo”.
“Dirigindo-se imediatamente a Jesus, Judas disse: “Salve, Mestre! “, e o beijou.
Jesus perguntou: “Amigo, que é que o traz? ” Então os homens se aproximaram, agarraram Jesus e o prenderam.”
Mateus 26:49,50
Sabe porque a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo? (1 Co 1:18) Porque eles não conseguem enxergar que até mesmo um traidor é capaz de contribuir para que o plano de Deus se cumpra na nossa vida. Viver um tempo de calmaria é maravilhoso, mas quando a gente tem certeza de que em algum momento seremos colocados sobre o muito, todas as coisas se transformam em oportunidade de aperfeiçoamento.
Jesus estava seguro de que o Pai não o deixaria desamparado.
“Um dos que estavam com Jesus, estendendo a mão, puxou a espada e feriu o servo do sumo sacerdote, decepando-lhe a orelha.
Disse-lhe Jesus: “Guarde a espada! Pois todos os que empunham a espada, pela espada morrerão.
Você acha que eu não posso pedir a meu Pai, e ele não colocaria imediatamente à minha disposição mais de doze legiões de anjos?
Como então se cumpririam as Escrituras que dizem que as coisas deveriam acontecer desta forma? ”
Mateus 26:51-54
Deus sempre tem um plano. Sua hora é perfeita. Seus meios também. Renda-se a Ele, permaneça nele e ainda que seu corpo esteja marcado, seu espírito permanecerá intacto, convicto na promessa.
Creia que todas as coisas cooperam para o seu bem!
Tempestades reviram mares. Revelam riquezas escondidas. Um traidor nos planos do Criador é como fogo em ouro. Autentica e prova a real intenção do coração.

‪#‎tempodematuridade‬

Sarah Chaves

Fatal error: Uncaught Exception: 12: REST API is deprecated for versions v2.1 and higher (12) thrown in /home/storage/e/df/50/site1366225542/public_html/wp-content/plugins/seo-facebook-comments/facebook/base_facebook.php on line 1273